V EP – 4º lugar Desafio de Fanfics

Inspirado na obra: Harry Potter e a Ordem da Fênix.

Personagens utilizados da serie: Harry Potter

Criado por: Alan M. Amaral

Temática: Os Marotos

Classificação: Livre

Estilo: Aventura, Drama, Magia.

***

Por Alan Marc do Amaral

Histórias Perdidas

12:50

O sol cintilava sobre os casarões quadrados de Londres, a calmaria que por ali se instalara dava um ‘‘ar’’ de abandono à cidade já que seus moradores haviam preferido as sombras frescas que se alojavam dentro de seus lares. Porem, o sol daquelas férias de verão parecia não afetar uma jovem debruçada em um quintal verdejante em frente de uma casa simplória.

_Lilian! Entre já menina! Olha só este sol. – pela porta entre-aberta, dizia uma mulher de pijama amarelado como seus longos cabelos Lisos.

_Deixe-a mamãe, quem sabe ela não se queima de uma vez!

_Petunia! – urrou a jovem senhora – Não diga essas coisas para sua irmã. – concluiu olhando para uma garota a seu lado que encarava a irmã com ar de reprovação.

_Tudo bem mamãe, não precisa se importar com isso – dizia Lílian, uma garota de longos cabelos acaju, trajada de sapatilha e saia preta e camisa branca, que se colocava a sentar sobre o gramado. – Já entro, só mais um pouquinho.

_Esta bem Lílian, só mais um pouco. – disse a mulher que ao terminar de falar com a filha adentrou em sua casa acompanhada por Petúnia.

13:00

_PSIU! – chamava um jovem de cabelos negros escorridos sobre o rosto pálido, e com o corpo ocultado em um arvoredo. – Lílian.

_O que você quer Severus? Ontem a conversa não bastou?

_Me perdoe, não sei o que me deu ontem, eu…eu…

_Mas eu sei! – retrucou Lílian – Você não se controla quando o assunto é o Potter.

_Mas…

_Mas nada! Ele é meu amigo e você também. Por isso não quero perder nenhum de vocês.

_Então… – Começou Severus.

_Então… por ser sua amiga eu deixo passar desta vez. So oque espero é que não tenhamos que discutir novamente.

_Que bom ouvir isto. Apropósito… você ira este ano a Hogwarts?

_Vou sim Severus, porque pergunta?

_Por que talvez eu não va…

_São seu pais novamente?

_Sim. Eles não entendem, ou parecem não me aceitar por ser um bruxo.

_Com o tempo eles aceitaram, pois vão ver a ótima pessoa que você é.

_Agradeço as palavras Lílian – dizia Severus de forma carinhosa.

_É para isso que servem os amigos – respondeu a garota retribuindo o sorrido do amigo.

15 anos após a morte dos Potter.

Sala de Severus Snape.

A sala do professor snape, diferente das demais salas, era escura e um tanto sombria. Entretando, naquela noite em particular ela estava um tanto iluminada, afinal, aquele dia seria o dia que Snape escolhera para ensinar á Harry Potter um treinamento contra Lord Voldemort, o controle da própria mente.

_Novamente! – falava o professor de trajes Negros.

_Nao podemos parar. Já estamos nisso á horas.

_Você é como seu pai Potter. Preguisoso e Arrogante.

_Não fale mal do meu pai!

_Fraco!

_Eu não sou fraco!

_Então, prove. Controle sua mente, e discipline-a. Legilimens!

_Protego! – Para a surpresa do ex-comensal, Harry se atrevera à contra golpear, e assim pode descobrir a verdadeira Face de James Potter.

Algumas décadas atrás, em algum lugar de Hogwarts.
( e nas memórias de Snape).

Através das memórias de Snape, Harry pode observar que a antiga Hogwarts não era tão diferente de como é em sua época – Um grande castelo medieval, com quintais enormes o rodeando, em outras palavras, bem comum. À medida que Harry seguia pelos caminhos estreitos dos corredores externos conseguia identificar rostos, e alguns em particular, quatro garoto que seguiam em direção de uma arvore que Harry conhecia muito bem, o salgueiro Lutador – uma arvore que mantinha a todos os alunos afastados, exceto aqueles quatro jovens, que o próprio Potter conhecia pelo nome de Os Marotos.

(A partir daqui colocarei apenas a Visão de Harry, sem colocá-lo como personagem.)

Sentados algum metros do salgueiro – onde ele não os alcançariam – o grupo do marotos planejavam algo.

_James, o que você pretende fazer hoje com o Severus? – perguntou um jovem de estatura baixa e com pontudas orelhas.

_Estava pensando em colocá-lo de ponta cabeça, se bem que isso já esta ficando monótono. – respondeu um garoto de cabelos castanhos e estatura mediana.

_Já estamos ficando sem idéias. – reclamou um jovem de alta estatura e cabelo esbranquiçados.

_Relaxem pessoal, ate a tarde vamos pensar em algo. – desta vez era um garoto de cabelos negros e estatura mediana que dava a sua opinião.

_Quem sabe tenhamos alguma idéia agora, olhem quem esta lá. – disse James apontando para um jovem de trajes negros e pele pálida.

_Vamos lá então! – convidou o segundo integrante.

Ao anoitecer, no banheiro Feminino (abandonado).

_Calma Severus, tudo vai terminar bem! – dizia uma garota que um dia já fora humana.

_Murta, você não entende, se chegassem a lançar feitiços em você, você não chegaria a sentir. Mas eu sinto. – sussurou Severus sentado com os joelhos e braços ocultando seu rosto.

_Se você quiser, eu vou ate eles e…

_Não, Murta! Eu prometi a Lílian que não a magoaria, apesar dela não acreditar quem na verdade é esse tal de James Potter. Porem não sei se agüentarei mais as humilhações deles.

_Ok! Qual quer coisa estarei por aqui. – disse a garota fantasma se despedindo, e atravessando a parede branca.

_Obrigado!

10 minutos mais tarde.

Após sair do banheiro um pouco mais calmo, Severus decidiu ir ate a biblioteca onde pretendia estudar mais para as provas de fim de ano. Depois de passar por longos corredores iluminados por tochas, subir e descer escadas que insistiam em mudar, e passar despercebido por algumas pessoas, finalmente havia chego á biblioteca.

“Secspeliarmus. Estuliarmus. Sectunsempra! É esse! “ – pensava Snape com sigo mesmo sem levantar suspeitas. – Agora, onde será que está aquele maldito livro. Achei! – concluiu ao tirar um espesso livro empoeirado da estante.

“Não vai ser fácil, mas vou conseguir” – voltou a pensar assim que dera uma demorada olhada nas paginas envelhecidas.

Na manhã do dia seguinte…

O salão principal naquele dia estava pouco movimentado pelo fato do natal estar chegando, muitos dos estudantes de Hogwarts haviam decididos passar aquele tempo em casa, exceto Snape, trajado do uniforme verde e prata da Sonserina o garoto encarava um velho livro atentamente, tão distraído estava que não notara uma voz feminina que surgia atrás dele.

_Severus. Severus!

_Ah, oi Lílian – comprimento o Sonserino ao se virar.

_Estava preocupada, não lhe vi ontem. Aconteceu algo?

_Não, esta tudo bem.

_Que bom. Apropóxito… Onde você ira passar o Natal?

_Em Hogwarts mesmo, e você?

_Em casa.

_Esta levando o suficiente na bagagem? – ironizou severus, assim que viu as três malas de mão da garota.

_Ha Há! – riu Lílian como se não houvesse graça alguma.

_O que é isso? – perguntou a jovem se aproximando do livro de capa negra.

Mas, antes que Harry Potter pudesse acompanhar a visão da mãe, seu professor – Severus Snape – conseguiu escapar da magia refletida.

_Desculpe-me – tentava dizer o grifinoriano, apesar de estar sendo segurado pela gola de sua camisa.

_Saia já daqui Potter! – Severus sibilava as palavras enquanto soltava seu aluno.

Assim que se livrara das mãos de Snape, Harry se apresava em direção á porta de saída da sala enquanto era seguido pelo olhar enfurecido de seu professor.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s