FIC THI-CHAN – #2012feelings

Capítulo 1 – Luz, câmera, ARASHI!

28/08/2012 – Kokuritsu

O show transcorria normalmente. Love so sweet havia acabado de tocar e agora os integrantes do Arashi se separavam e cada um corria para uma direção: Fight Song iria começar a tocar. Entretanto, antes que o primeiro HOI! pudesse ser gritado, cinco feixes de luz multicoloridos desceram do céu no meio do palco.

Silêncio predominou enquanto a luz se dissipava e deixava aparecer cinco pessoas alinhadas uma do lado da outra por altura. A banda parou de tocar e todos observaram os visitantes. Alguns membros da platéia se perguntavam se aquilo fazia parte do show, outros imaginavam que os Power Rangers surgiriam, outros simplesmente continuavam a gritar como se nada tivesse acontecido.

Quanto aos integrantes do Arashi, cada um teve uma reação, que seriam as normais deles:

-> Ohno e Aiba sorriam para as cinco figuras, imaginando que aquilo fosse alguma ideia do Jun;

-> Sho sabia que o Jun não faria aquilo e era o mais chocado de todos;

-> Jun estava preocupado em procurar uma câmera ao invés prestar atenção nos visitantes;

-> Nino acreditava que o mundo acabaria naquele ano, então aquele acontecimento não era nada alem do esperado, portanto decidiu não se importar.

Os intrusos se olharam por um instante e formaram um círculo com as cabeças para dentro, iriam decidir sua tática.

– Nós temos que fazer isso. – disse L séria.

– Uhum. – Concordou Yuri balançando a cabeça.

– É, parece que não temos escolha. – Afirmou Thi-chan.

– Yoshi! – Complementou Thata com um sorriso.

– Mas… – Tentou argumentar P, e logo os olhos brilhantes dos outros integrantes a fizeram desistir. – Ok, vamos lá. – decidiu, vencida.

– Ok! Quando eu disser três… 1, 2… – Começou Thata enquanto os outros entravam em formação.

– TRÊS!

You’re my soul, soul. Itsumo sugu soba ni aru. Yuzurenai yo daremo jama dekinai. Karadajuu ni kaze wo atsumete. Makiokose, Arashi! Arashi! For dream! – Os cinco cantaram em uníssono de maneira empolgada (e devo dizer que até ficou bonitinho, tirando as desafinações de alguns), com direito a dancinha e papel picado que os Jhonnys Júniors jogavam automaticamente ao ouvir essa música.

Novamente o silêncio, os outros continuavam a observar os cinco pontinhos parados ofegante com a mão estendida, mas dessa vez todos observavam com a atenção devida. Até mesmo o Jun, que estava chocado por ter encontrado a câmera, porém a mesma não estar voltada para ele.

Foi nesse momento que a L tirou de seu bolso uma faixa e, com a ajuda dos outros, estendeu-a e exibiu para os integrantes do Arashi. A faixa dizia: “Viemos em paz” em japonês. Nino foi o primeiro a se aproximar. Olhou-os de cima abaixo e apontou com o dedo para o palco maior.

– Movam-se. – E todos prontamente seguiram a ordem do andróide.

– Jun e Ohno, diga aos fãs que já voltamos. Sho, cuide do Aiba e o mande parar de fazer dança tribal ao redor deles. – E virou-se para os visitantes – Eu irei escoltá-los, me sigam. – continuou cruzando os braços e seguindo em direção aos bastidores, acompanhado por cinco seres alegres e saltitantes (pelo menos era assim que ele os via).

–x–

Bastidores do Show do Arashi – 10 minutos depois.

Enquanto Thata explicava em japonês fluente para Sho e o Jun o que acontecia, L conversava via onomatopéias e dividia alguns gizes de cera com o Aiba, Thi-chan discutia jogos com o Nino usando um tradutor instantâneo que imaginou ser necessário para essa viagem, Yuri discutia sobre arte surrealista e pescaria com o Ohno e a P estava em um canto usando o celular-rosa-powerpuff-com-pompons-que-brilham-no-escuro do Jun para tentar ligar para sua casa e ver como a chibi-p estava.

– Alguém aí sabe fazer ligação Japão-Brasil? – Perguntou P esperançosa, mas recebendo apenas acenos negativos como resposta. – Droga! – Disse conformada enquanto continuava a discar números na esperança que funcionasse.

– Então você quer dizer que vocês simplesmente apareceram aqui?  – Perguntou Sho após Thata finalizar a explicação.

– Exato! – Confirmou Thata orgulhosa da explicação que havia dado, sendo apoiada pelos balanços de cabeça dos outros intrusos.

– Certo, aguardem um pouco… Arashi! Reunião. – Disse Jun chamando os colegas e abrindo a porta.

– Você sabe que não precisa falar assim, né, Jun-chan? – Perguntou Aiba enquanto saía da sala.

A resposta de Jun não pôde ser ouvida devido à porta fechada. Rapidamente os visitantes correram e se amontoaram para colocar o ouvido na porta para ouvir o que o Arashi dizia (até mesmo a P havia desistido de tentar ligar e foi ouvir). Eles conseguiram detectar algumas poucas palavras soltas, elas eram: Giz de cera, lápis de cor, 2012 e ornitorrinco. Porém, decidiram parar de ouvir ao se darem conta de que o único que se fazia ouvir era o Aiba.

A porta abriu novamente e permitiu que os cinco voltassem para dentro da sala. Todos mantinham olhares sérios, como quem tinha uma notícia trágica para dar. Contudo, o maior sinal disso foi Aiba chegar cabisbaixo na sala, tirar seu celular do bolso e ir sentar-se no canto do lugar.

– Acho melhor vocês se sentarem. – Disse Sho em um sinal de solidariedade, apontando para o sofá.