FIC THATA – Ninócídio

Ninocídio

Título: Ninocídio
Gênero: Comédia
Censura: Livre
Personagens: Arashi e um coitado da staff, nem nome ele tem.
Resumo: No meio de uma reunião de última hora, Sho arranja um jeito de se distrair.

Baseado nesse pequeno trecho dos bastidores do Show AAA 2008 no Kokuritsu (Estádio Olímpico do Japão):
Download do vídeo
 

-Reunião! – Jun falou mais forte ao microfone, com o intuito de parar a banda e chamar a atenção de seus companheiros de grupo.  Alguns minutos depois, todos estavam juntos no palco central.

-Riida… – Você está cantando um tanto atrasado. – O mais novo começou. – Existe algum problema com seu ponto?

-Na verdade não… Acontece que o delay estava muito mais alto, eu acabei me confundindo. – Ohno disse, coçando a nuca e recolocando o boné com um sorriso sem graça.

-E você, hein, Aiba-chan? – Jun inclinou-se no ombro do colega mais alto – Quantas vezes eu vou ter que te dizer que você deve cantar SÓ a sua parte?

-Desculpa né? – Aiba se utilizou de seu melhor sorriso, esperando que esta “arma” o salvasse de um sermão.

-Certo, eu vou acreditar em você. – Jun disse, sorrindo de volta. – Pessoal, alguém mais está tendo problemas com o retorno?

O rapaz da staff responsável pela mesa de som ouvia às instruções e reclamações, já os outros membros do Arashi sentiam que suas presenças já não eram fundamentais ali. Mas sabiam ao mesmo tempo que se deixassem o local, estragariam o ótimo humor de Jun – Não era difícil encontrar Matsumoto bem, mas sim vê-lo TÃO de bem com a vida.

Cada um fazia como podia para se distrair; Aiba foi até a banda conversar, sabendo que lá seria a próxima parada do membro mais novo, Ohno olhava o palco principal – se seus pensamentos também estavam lá é um mistério a ser desvendado – Nino parecia estar absurdamente entediado e Sho ouvia de longe a conversa entre o amigo e o funcionário do som. Assim que seus olhos encontraram Nino, que estava à sua frente, seu rosto se iluminou com um sorriso e uma idéia.

Aproximando-se devagarinho, ele colocou seu microfone ao alcance da voz do mais novo com a mão esquerda, e a direita, fechada, colidiu fortemente com as costas do mais novo, quase junto ao pescoço.

A reação foi quase instantânea: Nino curvou-se para frente, gemendo de dor. Logo ele fechou os olhos e, ainda com uma expressão dolorosa, foi se deixando cair. Suficientemente entretido, o rapper retirou com certa força fingida a mão das costas do amigo.

-Vamos retomar o ensaio! – Jun disse, sua voz ecoando por todo o estádio. Nino tomou isto como a deixa para deitar no chão.

Por três músicas, só se ouviam quatro vozes, Sho então saiu de sua marcação em um dos palcos laterais e foi até Ninomiya, que continuava imóvel.

-Nino-chan, levanta! – Sho murmurou. – Jun já está olhando feio pra cá.

-Sho-chan… é você? – Kazunari perguntou, com um fio de voz – Eu até… queria levantar… Diga ao Aiba… que fique com meu baralho… mas que o guarde com a vida dele… se for preciso… E promete… pra mim que… vai cuidar do Ohno… não deixa o Jun… chegar perto dele…

Sakurai não se agüentava mais de rir. Sua risada, mesmo sem a amplificação do microfone, era ouvida pelos outros membros do Arashi, espalhados pelo lugar.

-Oi, aconteceu alguma coisa aí? – Perguntou Jun, um quê de sério.

Sem abrir os olhos, Nino levou o microfone à boca.

-EU TÔ MORRENDO AQUI, DROGA! – Ele gritou. Sho caiu no chão de tanto rir, sem soltar da mão do outro – RESPEITE ESSE MOMENTO! – Dizendo isso, largou o microfone. Sho recuperou o fôlego o quanto pôde.

-Nino, eu vou te curar. – Ele disse, tentando manter uma seriedade aparente.

-Eu não… tenho mais… salvação. Adeus… Sho-chan.

-O que você quiser comer hoje, assim que a gente sair daqui. Eu pago.

Nino abriu um olho.

-Sério?

-Sério. Isso não te faz se sentir revigorado?

-Claro! – Nino sentou-se de um pulo.

Ele sabia que vestir aquela camiseta no ensaio seria uma ótima idéia.